Core Assessoria em Marketing

O EMPREENDEDORISMO NO BRASIL TEM SIDO AMPLAMENTE DIFUNDIDO.

Vários são os fatores que tem colaborado para que o Empreendedorismo venha sendo amplamente difundido no Brasil, algumas deles:

  1. A crise econômica gerou um aumento do desemprego, fazendo com que esse contingente de pessoas sem trabalho, na ordem de 12 milhões de pessoas, buscassem alternativas para sua sobrevivência e, uma delas foi partir para o desenvolvimento de seu próprio negócio. Uma alternativa para os prejudicados com a atual crise econômica e para quem procurar trabalhar em suas ideias por conta própria.
  2. A internet abriu a possibilidade dos negócios ponto.com, com a facilidade de baixo custo e numa rapidez nunca vista. Não precisamos mais de metros quadrados de fabrica para colocar um produto no mercado.
  3. Produtos e Serviços ficam obsoletos rapidamente, proliferando novas oportunidades no mercado.

Então, o que é ser empreendedor?

Empreender é ter o espirito aventureiro para realização de coisas difíceis ou fora do comum. É buscar oportunidade para criar algo novo seja desenvolvendo novos produtos e serviços, novos mercados, novos processos de produção ou matérias-primas, novas formas de organizar as tecnologias existentes.  O empreendedorismo é uma revolução.

Numa visão mais simplista, podemos entender como empreendedor aquele que inicia algo novo, que vê o que ninguém vê, enfim, aquele que realiza antes, aquele que sai da área do sonho, do desejo, e parte para a ação. Ser um realizador.

A mídia todos os dias mostra exemplos e iniciativas empresariais de sucesso. Empresários destemidos, criativos e endinheirados, parece ser um processo muito distante da realidade da maioria de nós, mas não é? Não, de acordo Gartner (1990, p.15), o espírito empreendedor está presente em todas as pessoas que – mesmo sem fundarem uma empresa ou iniciarem seus próprios negócios – estão preocupadas e focalizadas em assumir riscos e inovar continuamente. O empreendedor não é aquele que atua somente em seu negócio próprio, mas pode ser aquele inter-empreendedor que atua dentro da empresa que trabalha, um funcionário com iniciativas, criando ou melhorando processos e produtos, persistindo na busca da inovação, engajando-se e comprometendo-se com os projetos da empresa.

O Brasil é rico em empreender, uma pesquisa realizada pela Pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor – fev 2016), revela que o Brasil é mais empreendedor do que países como EUA e Alemanha. A taxa de empreendedorismos no país em 10 anos saltou de 23% para 34,5%, o maior índice dos últimos 14 anos do Brasil. Um dado importante detectado nessa pesquisa é que em cada 100 brasileiros que começam um negócio próprio no Brasil, 71 são motivados por uma oportunidade de negócios e não pela necessidade.

A pesquisa vai além e apura que:

  • Campeão em empreendedorismo, o pequeno negócio é responsável por mais de 52% da geração de empregos formais e 40% da massa salarial no País;
  • Brasil gera 52% de empregos;
  • 3 em cada 10 brasileiros adultos entre 18 e 64 anos possuem uma empresa ou estão envolvidos com a criação de um negócio próprio;
  • 50% são empreendedores novos (com menos de 3 anos e meio de atividade) e 50% donos de negócios estabelecidos há mais tempo.

Se você tem uma boa ideia, observe os fatos e a oportunidade em volta dela como:

Identifique – quais as necessidades que irá atender no mercado? Quais os problemas que irá resolver com essa sua ideia? Quais as soluções para consumidor e se ele estaria disposto a pagar por essa sua ideia?

Demanda de Mercado – Qual o público alvo? Qual a durabilidade do produto/serviço no mercado (ciclo de vida)? Os clientes estão acessíveis, através de quais canais? Qual o potencial de crescimento desse mercado? O custo de captação do cliente é recuperável no curto prazo (1ano)?

Diferenciação – Qual o gap que sua ideia ocupa no mercado? Sua ideia é diferente das demais ofertadas no mercado? Os seus concorrentes poderiam tornar essa sua diferença obsoleta rapidamente?

Observação e análise – para identificar uma oportunidade é necessário observar e analisar. Como é mercado consumidor do seu produto? Como consumem? Quais seus costumes, hábitos e frequência de compra? Grandes ideias foram desenvolvidas das observações.  Embora ninguém confirme, mas a própria Apple talvez tenha desenvolvido o Ipod tendo como referência os antigos walkmans da Sony. Steve Jobs poderia ter utilizado os inúmeros canais de distribuição para vender seus produtos, mas resolveu abrir suas próprias lojas para poder observar de perto o contato do consumidor com seus produtos, e tirar daí grandes ideias.

Em resumo se tem uma boa ideia, para identificar uma oportunidade é necessário observar, registrar informações, analisar e comparar. Pense nisso!

Silvana A Sganzerlla | www.coremkt.com.br

Fontes consultadas:

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/bis/o-que-e-ser-empreendedor,ad17080a3e107410VgnVCM1000003b74010aRCRD

http://blog.pr.sebrae.com.br/empreendedorismo/como-identificar-uma-boa-oportunidade-de-negocio